Guedes e o dólar

Guedes e o dólar – Junior Belchior

Não gosto muito de escrever sobre Economia, apesar de ser uma de minhas formações, aprendi com os anos que o Brasileiro opina na Economia quase do mesmo jeito que o faz em relação à Seleção Brasileira, cada um, acha, uma coisa e teses mirabolantes costumam ser frequentes.

A pergunta principal a ser respondida é: “Porque o real é a moeda que mais perdeu em relação ao dólar em 2020?”

O caso carece de explicação mais complexa, mas tentaremos explicar da melhor forma possível. Em 2020, enquanto o real já caiu 15,5% em relação à moeda americana, a perda foi de 4,98% na moeda do México (peso mexicano), 9,40% da África do Sul (rand), e 12,75% da Turquia (lira turca). Mas vamos às explicações.

Um dos principais motivos é o Coronavírus que influenciam essa desvalorização com bastante força, além de termos desvalorização do câmbio que é um movimento global e também há o impacto de algumas questões domésticas, como juros, crescimento baixo e preço de commodities.

Outro ponto que interfere na desvalorização que vem ocorrendo e o aumento da moeda norte-americana, é a redução sucessiva da Selic a patamares historicamente mínimos, taxa esta que está atualmente em 4,25% ao ano o que tornou alguns rendimentos baseados na taxa de juros brasileira, menos atraentes para o investidor estrangeiro, prejudicando o desempenho do real.

Para se ter uma noção desse último ponto, investidores pegavam dinheiro emprestado para aplicar no Brasil de olho na diferença dos juros, para observarmos isso basta vermos que dados divulgados pelo Banco Central, mostraram saída de US$ 4,8 bilhões do país em janeiro e fevereiro, resultado de déficit na conta financeira de US$ 10,8 bilhões e superavit de US$ 6 bilhões na comercial.

Completando os fatores já acima citados temos um PIB potencial baixo, a agenda de reformas está parada (poderíamos estar ganhando produtividade com essas reformas) e o ambiente político também tem sua parcela de culpa. E já existem indicativos que os juros cairão ainda mais o que com certeza enfraquecera ainda mais o real, podendo chegar mesmo a uma desvalorização em que 1 dólar será equivalente a 5 reais, o que poderia gerar inflação, principalmente nos produtos importados como o trigo e parte do petróleo refinado.

Apesar de um cenário não tão positivo, o ministro Paulo Guedes afirmou em evento da Fiesp que o regime é de câmbio flutuante e que o modelo econômico mudou, pois, os juros são baixos. E que o impacto do coronavírus no Brasil deve ser limitado, pois, o país é uma economia fechada.

O melhor é ficar atento em Economia as certezas são poucas e as dúvidas são inúmeras.

Júnior Belchior

instagram

Politica Paraibana

Twitter

Compartilhe

Deixe um comentário